Estava escuro... tinha medo... mas fez-se luz, iluminava-me e a tudo o que me rodeava. Era eu, foi o que aconteceu quando me descobri a mim próprio!

domingo, abril 05, 2009

HOJE VOU VOAR!


Os sinais do dia-a-dia

A cada momento que passa, em cada dia que vivo os sinais são uma constante, há que estar atento, estar desperto e procurar percebê-los. Seguir a intuição é algo que muitas vezes não fazemos, mas é essencial segui-la, o nosso eu interior precisa de despertar, é lá que reside o que de mais “radical” existe em nós. As “teias” e ligações à vida tal como a conhecemos hoje são muito fortes, no entanto a vida é só uma, e se não compreendermos o nosso eu, e fizermos aquilo que realmente nos faz rejubilar, quando o faremos?


Racionalizar a alma

É preciso querer perceber as mensagens quotidianas, mais é preciso aceitá-las, ter a coragem de seguir o verdadeiro caminho, aquele que revela Quem Realmente Somos. Por vezes procuramos demasiadas respostas, ter 200% antes de avançar, procuramos racionalizar as decisões, porque temos medo. Procuramos construir na mente um conjunto de razões e argumentos que nos permitam sustentar o caminho que a nossa alma reclama. Eu não sou o meu corpo, nem sequer habito nele, é ele que habita em MIM.


A matemática da alma

A profundeza e intensidade espiritual são extraordinariamente magníficas, mas não resulta apenas dar um passo, quando já se conhece todo o caminho, as rochas, as planícies, os outros caminhantes, e os 1000 passos seguintes. Um aluno quando entra para a 1ª classe e começa a aprender os números e a contar, não conhece nem aspira a que um dia poderá vir a trabalhar com funções exponenciais ou a fazer derivadas, no entanto se nunca tivesse aprendido os números, nunca atingiria o desenvolvimento suficiente para chegar a esse patamar, foi preciso um primeiro passo e outros intermédios. Não é funcional dizer que não quero aprender os números porque não sei como resolver nem como vou aprender derivadas. O mundo espiritual, diria de forma mais simples, a VIDA, funciona exactamente da mesma forma.


Sinais incógnitos

Não sei identificar sinais nem o que querem dizer, é um entrave comum que causa inércia. Há um exercício que pode ser interessante fazer, ao final do dia, ou num momento mais calmo, ou mesmo no meio da agitação e correria. Aquela frase que despertou uma reacção, mas que ao fim de 2 minutos já esqueci, é bom tentar recordá-la, perceber porque mexeu comigo, o que tem a ver com a minha vida? Como achei aquela cena do filme tão real, tão verdadeira, tão adequada aos dias de hoje, tão… minha. Será que me ajuda a perceber Quem Sou, que caminho escolher? Aquela deixa no teatro, parecia que estava a dar uma resposta a um dilema, há com cada coincidência… secalhar eram as palavras que faltavam, talvez devam ser levadas a sério. Hoje encontrei um amigo que já não via há anos, que mensagem me traz este encontro? O meu pensamento hoje não saía daquela criança que corria atrás da bola como se não houvesse amanhã e com uma liberdade pelo meio daquela relva que já não via há imenso tempo. Será que quero ser mãe? Devo escolher o curso de educadora de infância? Estou demasiado preso aos meus afazeres que não tenho tempo para ser livre, para me divertir?


Hoje vou voar!

3 comentários:

Luis Carlos disse...

Vou, amigo, voa.

Sinal que do ninho saíste, e que pelo ar te aventuras.

Luís Carlos

Anónimo disse...

Gostei imenso deste blogger.

Muito bom.

João Luis

sendyourlove disse...

parabés atrasados.... bons voos!