Estava escuro... tinha medo... mas fez-se luz, iluminava-me e a tudo o que me rodeava. Era eu, foi o que aconteceu quando me descobri a mim próprio!

sábado, outubro 07, 2006

O medo da morte


Costuma-se dizer que na vida só há duas coisas certas, os impostos e a morte. Do primeiro alguns ainda conseguem fugir, da segunda não há ninguém vivo para testemunhar. :)

Ironicamente, tememos aquilo que temos como certo, sabemos que a vida não é eterna, tudo termina com a morte, ainda assim temos medo dela. Receamos o desconhecido, não queremos que acabe...

Termos medo da morte… faz-me perguntar o que é a vida? Se a morte é o fim da vida, então o que é que termina? Faz-me ainda perguntar o que é a morte, será simplesmente o fim? Aqui um erro de compreensão, pode alterar o sentido de tudo.

Curioso, curioso, é até que ponto condicionamos a nossa vida, em função do medo de morrer…

5 comentários:

}}cleopatra{{ disse...

A morte... é a única certeza da vida!
Todas as almas o sabem...
Todas as almas o temem!
Mas...
Se a vida não tivesse a morte,o que seria da morte sem a vida?
Nem vida!
Nem morte!
Há que viver a vida... antes que chegue a morte!!

Beijo soprado

(L)oca disse...

As vezes penso que este medo da morte serve para não nos armarmo-nos em deuses...

Anónimo disse...

gEste tema é delicado, porque se é verdade o que tu disses-te; também é verdade que há gente, que embora tema a morte, mata-se porque tem medo dos minutos seguintes da sua vida!

Mas que este medo, e esta curiosidade sobre o que vem depois nos tornem mais mais apressados em cumprir as nossas missões na Terra.

Bjs fofos*
Mariana*

Paty disse...

Será que às vezes não é o tanto o medo da morte, como o medo do esquecimento, do deixar de existir...

Parabéns pelo teu blog!

bastard_o disse...

não, é mesmo o medo da morte q m atrofia.aquele momento ultimo em q m sentir sufocar...arrgghh!!