Estava escuro... tinha medo... mas fez-se luz, iluminava-me e a tudo o que me rodeava. Era eu, foi o que aconteceu quando me descobri a mim próprio!

sexta-feira, agosto 03, 2007

Quero-te longe, bem perto de mim!

Acordei a pensar em ti, senti o pulsar do teu coração, o teu cheiro invadiu o meu nariz, não estavas perto nem longe, estavas em mim.

A tua presença é uma doce recordação, guardo-a com carinho, ilumina-me o espírito, faz-me pensar como tudo poderia ter sido, se o rumo fosse outro, no entanto não quero mais nada contigo, seria estragar a imaginação do que não vivemos e a ilusão do que vivemos.

Devemos viver de recordações e suposições ou arriscar a viver os ventos da aventura e os sabores inigualáveis que o presente pode ganhar, sabendo que podemos ter uma grande (des)ilusão?

5 comentários:

sendyourlove disse...

Essa será sempre a duvida que me acompanha...
Seja como for é mesmo muito bom, apesar de ao mesmo tempo doloroso, ter um amor assim.

bastard_o disse...

é q mesmo qdo se arrisca, ás vezes o q fica sao mm as recordações do tmp em q s arriscou...

lili disse...

saudades...
essas vão sempre existir.
Já que assim é, mais vale arriscar e viver a vida, saborea-la, mesmo que depois venha o desgosto, amargura...
oh menos, ja se pode dizer que houve algo especial e que a vida não foi em vão.
Arriscar ensina sempre algo, nem que seja a saber-mos como e até quando cada um de nós pode arriscar...

Rainbow disse...

Aqui e agora! O passado não se pode alterar. O futuro não existe nem se sabe se existirá!
Então, aqui e agora, vive a intensidade do momento, em toda a sua plenitude. Com toda a tua Luz!
Bjs coloridos

Ivete disse...

Já li e reli este teu texto inúmeras vezes. E tua frase final tem mexido comigo... Abraços!